Category Archives: Estética

The Tall One & Peter Adams

1
Fotografia tirada, para a colocar à venda.

2
Após a definição e limpeza da veia viva e limpeza da madeira morta.

3

4

5

BF_David_Carvalho_Sabina_Juniper_Design_2_Col_Dwg

Desenho original do Peter Adams.

BF_David_Carvalho_Sabina_Juniper_Design_2_Col_Dwg-alterado
Desenho do Peter Adams modificado e actualizado por mim para o projecto da “Tall One”.

PeterAdams-bonsai
Nota de Peter Adams para o vaso.

É esta a beleza do Bonsai é esta a beleza da Vida. Quando a semana passada coloquei 3 Sabinas à venda a “Tall One” estava entre essas 3, na verdade foi a primeira Sabina que comprei ao Alberto (ou a segunda!) e para ser sincero já não me lembro quando lhe perdi o interesse. Inicialmente era um duplo tronco com diversos problemas e a árvore foi separada em duas pois não existia maneira de fazer um desenho credível de duplo tronco devido à ausência total de um nebari visível e comum.

Ao longo do tempo fui-me habituando a vê-la no viveiro, primeiro como duplo tronco e depois como uma árvore isolada, nos último 2 anos sofreu 2 transplantes de emergência devido a ter voado duas vezes para o chão devido a duas tempestades e quando a phytophthora atacou o viveiro, foi das árvores mais afectadas, estive prestes a perde-la, mas a verdade é que recuperou em força e hoje é das Sabinas mais vigorosas que tenho.

No último feriado juntamente com o Pedro Telmo, decidi trabalha-la, o objectivo era limpar e definir a veia viva e posteriormente limpar a madeira morta para brevemente receber uma boa dose de liquido Jin, mas a verdade é que enquanto a trabalhava pouco a pouco ia-me voltando apaixonar por ela, como se ao longo do trabalho me fosse lembrando de todas as coisas que me fizeram adquiri-la e do percurso que realizei nesta arte, dos projectos entusiasmantes que tinha inspirados nos desenhos que o Peter Adams tinha feito para ela num artigo da Bonsai Focus…

No último dia perdi a noção do tempo que gastei a olhar para ela, sentia-me verdadeiramente hipnotizado e hoje quando cheguei a casa, fui rever os desenhos originais do Peter e foi ai que encontrei um propósito muito especial para este projecto, uma homenagem a um grande Senhor do Bonsai, Peter Adams que já não se encontra entre nós. Com os devidos ajustes, vou seguir um dos projectos que o Peter desenhou para esta árvore e vou fazer até questão de seguir as indicações do próprio vaso.

E num abrir e piscar de olhos, a “Tall One” deixou de estar à venda.

Anúncios

Estética…

Existem dois argumentos estéticos que não me convencem, quando alguém refere que a árvore tem madeira morta a mais o outro argumento é quando o nebari é demasiado grande. Embora compreenda que isto acaba por estar relacionado com a “escola” de cada um a verdade é que não me consigo identificar com essas opções estéticas.

Enquanto um bom nebari radial com dimensão considerável demonstra uma árvore com maturidade, a Madeira Morta por sua vez demonstra que a árvore passou por um percurso de vida complicado e a verdade é que não existe criatividade mais mórbida, mais dramática, mais drástica e original do que a mãe Natureza. Se a espécie se apresenta assim na sua essência não compreendo como é que uma boa madeira morta ou um nebari grande num Bonsai podem ser considerados um problema.

Olhando a escola Japonesa, onde imperam grandes nebaris e muitas madeiras mortas, tenho visto muitas técnicas, mas nenhuma delas para reduzir nebaris ou para retirar sharis o máximo que vi até ao momento foram reduções de jins mas isso apenas porque não se inserem no desenho da árvore.

A árvore acima é um perfeito exemplo, um Juniperus Sabina na ilha El Hierro que faz parte do arquipélago das Canárias, mas basta passear pelo interior do Alentejo para ver o trabalho da Natureza, onde Oliveiras centenárias apresentam tanto ou mais dramatismo que esta Sabina.